Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

Brasil e o Mundo

Cristalina

Curiosidades

Ciência e Tecnologia

Rádiocol - www.radios.redecol.com.br

Ouça as melhores rádios do Brasil ao vivo.

Redecol Brasil, sempre ao seu lado!

Seu site de notícias está de cara nova, trazendo sempre as melhores informações.

<

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Apartamento no setor Central do Gama DF - 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado por apenas R$ 230 mil

Apartamento à venda no setor Central do Gama DF
Fachada - Edifício Central Valle Residence - Gama/DF. Foto: Divulgação.
Ótima oportunidade de negócio, apartamento residencial localizado no Setor Central do Gama, no Distrito Federal, por apenas R$ 230 mil. Você pode morar com conforto, segurança e ótima área de lazer, tudo isso, na melhor localização da cidade, perto de hospitais, escolas, comércio, shopping e muito mais.

Apartamento
Localização privilegiada: Próximo à escolas públicas e particulares, bancos, comércio, hospitais, rodoviária e delegacia (300 metros da Rodoviária e Administração Regional do Gama; 400 metros do Hospital Maria Auxiliadora; 500 metros do Hospital Regional do Gama - HRG e Shopping Popular do Gama; 600 metros do Gama Shopping; 800 metros do Estádio Bezerrão; Em frente à Bancos, lojas e comércio do setor Central);
Área útil: 52m2 (cozinha, sala, 2 quartos, banheiro social e varanda);
Garagem: 1 vaga coberta com portão eletrônico;
Elevadores: 2;
Climatizado: Ar condicionado de 27 mi btus (quartos e sala);
Circuito Fechado de TV: Câmeras HD em todos os cômodos;
Cozinha planejada: Com armários e balcão;
Rede de proteção em todas as janelas;
Varanda com blindex e rede de proteção;
Gás canalizado já incluso na Taxa de Condomínio;
Portaria: 24 horas;
Posição: Nascente;
Cobertura com: Piscina, sauna, academia e salão goumert​;
Valor Venda: R$ 230 mil;
Aceita financiamento: Sim;
Valor do Condomínio: R$ 327,00

Mapa


O condomínio
O Central Valle Residence é um edifício residencial e comercial projetado pela Duo Arquitetura e Design com o conceito de morar com conforto, segurança e lazer na área central do Gama. Construído em 13 pavimentos é composto de: 2 subsolos de garagens.
Piso Térreo possui 3 lojas e área para home theather, coffee shop e business center (a serem implantados pelo condomínio), e ainda grande hall de acesso. Mais 9 pavimentos tipo com unidades de 33 m2 a 52 m2 de construção.
Conta ainda com um pavimento de cobertura com piscina, solarium, espaço gourmet, fitness center e sauna, além de um espaço para lavanderia (a serem implantados pelo condomínio).
Mais informações: MValle Construções

Contato:
Clodoaldo: (61) 9228-8852 (WhatsApp)

Fotos

Fachada
Fachada e portaria. Foto: MVALLE.
Fachada Central Valle Residence. Foto: MVALLE.
Hall de entrada
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Hall de entrada.
Piscina na cobertura
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Piscina localizada na cobertura do prédio.




























Sala
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Sala.

Cozinha Americana
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Cozinha tipo americana.
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Cozinha tipo americana.
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Cozinha tipo americana.

Banheiro
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Banheiro com box fumê e armário planejado embaixo da pia.

Quarto Criança
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Quarto de criança.

Quarto Casal
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Quarto de casal.


Varanda
Apartarmento 2 quartos, 1 vaga de garagem, ar condicionado, CFTV, no Gama DF por R$ 230 mil
Varanda.

domingo, 3 de julho de 2016

Após 8 anos ausente, a Rádio Planalto AM 890 de Brasília está novamente no ar

Rádio Planalto AM 890 de Brasília DF está de volta ao ar
Boa notícia para o rádio do Distrito Federal, depois de 8 anos ausente do dial, a partir do dia 04 de julho, entra novamente no ar a Super Rádio Planalto AM 890. O retorno da tradicional emissora foi possível por causa de uma parceria entre o Grupo Diários Associados (donos da frequência) e a empresa Brasília Show, de Ricardo Noronha, com isso, a rádio que operou durante 45 anos e esteve presente em momentos históricos que marcaram a Capital do Brasil, volta com força total, trazendo uma programação diversificada com jornalismo, esporte e muita música.

Desde julho de 2008, a rádio Planalto saiu do ar e passou a retransmitir a programação da Rádio Clube FM 105.5, agora, 8 anos depois a rádio renasce prometendo atender o público que ficou órfão da programação AM e para atrair esses ouvintes  a emissora vai contar com grandes nomes do rádio local, conhecidos como "Gigantes do Rádio", são eles:
  • Chico Jardim
  • Clayton Aguiar
  • Edelson Moura
  • José Nery
  • Juarez Vieira
  • Ricardo Noronha
  • Roberto Cavalcanti
  • Kleiber Beltrão
  • Walter Lima
  • Rose
  • Márcia Ferreira
  • Lucas Neto
A rádio Planalto também vai contar com uma grande equipe esportiva, que fará cobertura e também discutirá sobre os principais esportes, dando ênfase ao esporte local. Veja abaixo os nomes que comporão a equipe esportiva: 
  • Kleiber Beltrão
  • Jânio Gomes
  • Ramón Villar
  • Márcio Ferreira
  • Esdra Alves
  • Edmar Soares
  • Carlos Nascimento
  • Cristiano Oliveira
  • Everson Cordeiro
Então não se esqueça, a partir desta segunda-feira (04/07/2016), a Rádio Planalto AM 890 de Brasília retorna ao ar. A frequência pode ser ouvida em todo o Distrito Federal e Entorno.


terça-feira, 7 de junho de 2016

Lei do farol baixo durante o dia nas rodovias não considerou os carros com Luz de Circulação Diurna - DRL

Luz de circulação diurna - DRL é mais eficaz que faróis baixos
Luz de Circulação Diurna (DRL) x Faróis Baixos
Agora é lei, todos os veículos que circulam pelas estradas brasileiras deverão acender os faróis baixos mesmo durante o dia. A Lei 13.290/2016 foi sancionada pelo presidente interino Michel Temer no dia 23 de maio, ficando estabelecido que no período de 45 dias a partir da sanção presidencial os motoristas devem ser informados sobre a nova obrigatoriedade. Em julho, os órgãos de fiscalização de trânsito já poderão aplicar multas a quem não respeitar a nova lei. E não será uma multa barata, quem trafegar com os faróis apagados cometerá infração média, com multa de R$ 85,13 e mais quatro pontos na CNH.

A lei é muito bem-vinda e certamente aumentará a segurança nas rodovias, no entanto já chega obsoleta ao não considerar dispositivos mais modernos e mais eficientes de iluminação diurna, como os DRLs (Daytame Running Lamp/Light) ou farol/luz de circulação diurna, presente na maioria dos carros importados e em alguns nacionais. A lei traz o seguinte texto: “o condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias. ”, ou seja, despreza totalmente outras soluções já amplamente testadas em outros países, como o DRL que já é obrigatório, por exemplo, na Europa.

O DRL para quem ainda não conhece são lâmpadas halógenas ou de LED que se acendem sempre que é dada a partida no carro independentemente se o farol está ligado ou não. Vários modelos que circulam no Brasil já contam com esse sistema: Peugeot 208, Peugeot 308, Peugeot 408, Citroën C4 Lounge, Chevrolet Cruze (modelo mais novo), além de praticamente todos os veículos acima de 100 mil reais.

Muitos acham que o DRL tem uma função meramente estética, mas é justamente o contrário, o sistema visa especialmente a segurança, uma vez que melhora em muito a visibilidade dos carros, tanto para pedestres, como também para outros condutores.
Estudos europeus mostraram que após a obrigatoriedade dos carros novos virem de fábrica com o DRL observou-se uma redução entre 10% e 20% nos acidentes de trânsito, principalmente nas colisões frontais, que normalmente são as mais graves. Já nos Estados Unidos o DRL não é obrigatório, a NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), em seus estudos apontou para uma baixa redução nos acidentes. Mesmo assim, outras entidades americanas fizeram estudos que mostraram redução entre 5% e 15% nos números totais de acidentes nos veículos com DRL.

DRL x Farol Baixo
Muita gente questiona a eficácia da luz de circulação diurna (DRL), o fato é que esse sistema foi projetado principalmente para aumentar a visibilidade durante o dia, sendo mais eficiente na visualização por parte de outros condutores e pedestres em relação ao farol, já que este foi projetado para iluminar em condições de pouca ou nenhuma luz. Se observarem verão que os leds ou lâmpadas dos DRLs ficam direcionados para cima, justamente para serem vistos de longe, ao contrário dos faróis, que são projetados para facilitar a visão por parte do condutor do veículo.

Outro problema não considerado pelas nobres autoridades diz respeito às lanternas dos carros, ao ligar o farol baixo, as lanternas, geralmente de cor vermelha também se acendem, assim, a luz de freio, que também é vermelha, fica menos visível, podendo assim aumentar o número de colisões traseiras. Mas aí você pode estar pensando, a lei diz que o farol baixo deve ser aceso somente em rodovias e tuneis, nessas condições os carros não andam tão próximos... mais ou menos... aqui no Distrito Federal por exemplo, os trajetos são principalmente feitos por rodovias federais e distritais e, portanto, em horários de pico são formados grandes congestionamentos.
Além de melhorar drasticamente a visibilidade, o DRL é ativado mesmo com o farol desligado, assim, as lanternas traseiras ficam desligadas, diminuindo o risco do motorista que vem atrás não se atentar entre a diferença da luz da lanterna com a luz de freio.
Outro problema do uso diurno dos faróis é em relação ao consumo de combustíveis, mesmo que ínfimo, além do desgaste do sistema de iluminação do carro, que terá sua vida útil diminuída e o motorista terá que substituir as lâmpadas mais frequentemente.

Para finalizar, ressaltamos que a Lei 13.290/2016 deve ser revista, de modo a contemplar também os dispositivos de circulação diurna (DRL), já que esse sistema é comprovadamente muito mais eficaz para melhorar a visibilidade dos veículos durante o dia do que o farol baixo.

Afinal de contas, meu carro já vem com o DRL terei que ligar o farol baixo mesmo assim?
Bem, essa questão é polêmica, como a lei não diz nada a respeito de dispositivos auxiliares de iluminação diurna dos carros, levando ao pé da letra, mesmo seu carro tendo aquelas luzes de Led (DRL) será preciso ligar os faróis baixos, caso contrário poderá ser multado pela autoridade de trânsito. Esperamos que até julho o governo revise a lei para que o DRL se enquadre à nova legislação e que os carros que já vem com esse sistema não precisem também ligar os faróis durante o dia.



sábado, 28 de maio de 2016

Nono dígito começa a valer nesse domingo para os celulares de Brasília e região Centro-Oeste, além de 3 estados do Norte

Nono dígito para os celulares de Brasília, Goiás e demais estados do Centro-Oeste
A partir desse domingo, dia 29 de maio, serão alterados os números dos celulares da região Centro-Oeste e de três estados da região Norte. Deverá ser acrescentado o dígito 9 antes do número telefônico para ligar para celulares dos seguintes DDDs: 61 (no Distrito Federal), 62 e 64 (estado de Goiás), 63 (estado do Tocantins), 65 e 66 (estado do Mato Grosso), 67 (estado do Mato Grosso do Sul), 68 (estado do Acre) e 69 (estado de Rondônia).

A medida tem entre seus objetivos aumentar a disponibilidade de números na telefonia celular, dar continuidade ao processo de padronização da marcação das chamadas e garantir a disponibilidade de números para novas aplicações e serviços. Os planos de numeração dos serviços de telefonia fixa não sofrerão alterações, permanecendo com códigos de acesso com oito dígitos.
O dígito 9 (nove) deverá ser acrescentado à esquerda dos atuais números, que passarão a ter o seguinte formato: 9xxxx-xxxx. Por um determinado período, as ligações marcadas com oito dígitos ainda serão completadas, para adaptação das redes e dos usuários. Gradualmente haverá interceptações e os usuários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem. Após esse período de transição, as chamadas marcadas com oito dígitos não serão mais completadas.

Transição
As chamadas feitas com 8 dígitos e com 9 dígitos serão completadas normalmente de 29 de maio a 7 de junho de 2016, é o chamado duplo convívio. E as chamadas com 8 dígitos receberão mensagem orientativa sobre a mudança de 8 de junho de 2016 até 5 de setembro de 2016.
Além das adequações técnicas por parte das prestadoras de serviço de telecomunicações, essa medida demandará da sociedade a realização de eventuais ajustes em equipamentos e sistemas privados como, por exemplo, equipamentos PABX e agendas de contatos. O nono dígito deverá ser acrescentado, no momento da discagem, por todos os usuários de telefone fixo e móvel que liguem para celulares nos estados acima mencionados, independentemente do local de origem da chamada.

O nono dígito já foi implementado em: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Amapá, Roraima, Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais. E ainda será implantado na região Sul nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no dia 6 de novembro de 2016.

O Brasil registrou, em março deste ano, 257,81 milhões de linhas ativas na telefonia móvel, dos quais eram 3.384.204 em Mato Grosso do Sul, 4.182.574 em Mato Grosso, 8.590.453 em Goiás, 5.616.455 no Distrito Federal, 1.877.082 no Tocantins, 2.161.208 em Rondônia e 805.323 no Acre.


Com informações da Assessoria de Comunicação da Anatel/Redecol Brasil

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Secretaria da Agricultura do estado de Santa Catarina informa interdição preventiva das áreas de cultivo de ostras, mexilhões, vieras e berbigões

Coleta de ostras, mexilhões e berbigões são suspensas em Santa Catarina
Ostras, imagem divulgação.
A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca informa a interdição preventiva das áreas de cultivo de ostras, mexilhões, vieiras e berbigões em Santa Catarina, proibindo a retirada, comercialização e consumo desses animais e seus produtos devido à presença de toxinas que podem causar intoxicação alimentar. Exames laboratoriais realizados pelo Laboratório Laqua-Itajaí/IFSC detectaram a presença da toxina diarreica (DSP) em cultivos da localidade de Caieira da Barra do Sul (Florianópolis), e também detectaram alta contagem de algas produtoras de toxinas em localidades de produção de moluscos da Enseada do Brito (Palhoça), Ganchos de Fora (Governador Celso Ramos) e Laranjeiras (Balneário Camboriú).

A interdição de todo o litoral catarinense acontece para preservar a saúde pública, já que existe a possibilidade de a contaminação dos moluscos bivalves estar ocorrendo de forma generalizada. A toxina diarreica é produzida por algumas espécies de microalgas que vivem na água, chamadas de Dynophysis, e quando acumuladas por organismos filtradores, como ostras e mexilhões, podem causar um quadro de intoxicação nos consumidores. A presença de Dynophysis é conhecida em Santa Catarina e por isso os níveis da toxina são regularmente monitorados pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) no litoral. Os últimos episódios de excesso de DSP no estado aconteceram em 2014, 2008 e 2007.

Novas coletas de ostras e mexilhões serão realizadas para monitoramento das áreas de produção e os resultados dessas análises definirão a liberação ou manutenção da interdição das áreas afetadas. A expectativa é de que as toxinas produzidas pelas algas desapareçam em alguns dias, não gerando prejuízos financeiros para os maricultores porque a produção permanecerá na área de cultivo.

As instituições públicas responsáveis pela fiscalização sanitária do comércio, inspeção de produtos de origem animal, pesquisa e extensão e diagnóstico foram comunicados para que tomem as providências pertinentes às suas áreas de atuação.

Os sintomas causados pela DSP são diarreia, náuseas, vômitos e dores abdominais e se manifestam em poucas horas após a ingestão de moluscos contaminados. A recuperação do paciente se dá entre dois e três dias, independente de tratamento médico.

Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca/SC



 
Bandeira BrasilCopyright © 2008-2015 - Redecol Brasil/Blogger Todos os direitos reservados. Política de privacidade