Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

IBGE divulga a Estimativa Populacional 2011, Brasil já tem mais de 192 milhões de habitantes

|

ESTIMATIVA POPULACIONAL IBGE 2011
O IBGE divulgou no dia 31 de agosto de 2011, as estimativas das populações residentes nos 5.565 municípios brasileiros em 1º de julho de 2011. Estima-se que o Brasil tenha 192.376.496 habitantes, 1.620.697 a mais que em 2010, quando a população chegou a 190.755.799.
Leia também: Estimativa populacional 2012
São Paulo continua sendo a cidade mais populosa, com 11,3 milhões de habitantes, seguida por Rio de Janeiro (6,4 milhões), Salvador (2,7 milhões), Brasília (2,6 milhões) e Fortaleza (2,5 milhões).

Maiores cidades do Brasil
A capital federal, que em 2000 ocupava o 6º lugar entre os municípios mais populosos, passou, em 2011, para o 4º lugar. Belo Horizonte, que em 2000 estava na 4ª posição, em 2011 caiu para a 6ª (2,4 milhões), sendo ultrapassado por Brasília e Fortaleza. Os 15 municípios mais populosos somam 40,5 milhões de habitantes, representando 21,0% da população. Veja abaixo as 15 maiores cidades do Brasil:

As estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos nos períodos intercensitários, e um dos parâmetros usado pelo Tribunal de Contas da União na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios. Esta divulgação anual obedece à lei complementar nº 59, de 22 de dezembro de 1988, e ao artigo 102 da lei nº 8443, de 16 de julho de 1992.

A tabela com a população estimada para cada município foi publicada no Diário Oficial da União do dia, 31 de agosto de 2011. Está previsto em lei que até 20 dias após a publicação das estimativas, os interessados poderão apresentar reclamações fundamentadas ao IBGE, que decidirá conclusivamente. Em seguida, até 31 de outubro, o IBGE encaminhará as estimativas definitivas ao Tribunal de Contas da União.
Os dados podem ser acessados na página www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2011

Maiores cidades do interior do Brasil:

Excluindo-se as capitais, os municípios mais populosos são Guarulhos (1,2 milhão), Campinas (1,1 milhão), São Gonçalo (1 milhão), Duque de Caxias (861,2 mil), Nova Iguaçu (799,0 mil) e São Bernardo do Campo (770,3 mil). Com exceção das capitais, os 15 municípios mais populosos somam 11,4 milhões de habitantes, representando 5,9% do total da população do Brasil em 2011. Veja abaixo a relação da 15 maiores cidades do interior do Brasil:
MAIORES CIDADES DO BRASIL EM 2011







Menores município do Brasil
Entre os seis municípios brasileiros que em 2000 tinham menos de mil habitantes, somente Borá (806 habitantes), em São Paulo, e Serra da Saudade (811 habitantes), em Minas Gerais, continuam nessa situação em 2011. A população dos 15 municípios menos populosos do Brasil soma 17.439 habitantes, aproximadamente 0,01% da população do país.
MAIORES CIDADES DO INTERIOR DO BRASIL EM 2011


Unidades da Federação 
São Paulo se destaca como a unidade da federação mais populosa, com 41,6 milhões de habitantes 21,6% da população brasileira), seguida por Minas Gerais, com 19,7 milhões (10,3%), e Rio de Janeiro, com 16,1 milhões (8,4%). O estado de Roraima é o menos populoso, com 460,2 mil habitantes (0,2%), seguido do Amapá, com 684,3 mil (0,4%), e Acre, com 746,4 mil (0,4%).


Já o conjunto das 27 capitais totaliza 45,9 milhões de habitantes em 2011, representando 23,8% da população total, participação igual à observada em 2000. Isto mostra que o dinamismo populacional do Brasil está seguindo novas rotas, particularmente rumo ao interior e se manifestando nos municípios de porte médio. Municípios pouco populosos tiveram baixas taxas de crescimento no período 2000-2011.

Taxas de Crescimento Populacional

Os grandes municípios em volume populacional e que ainda apresentaram taxas de crescimento significativas foram influenciados pelo componente vegetativo e por um saldo migratório que prevalece favorável à imigração, embora possam estar experimentando reduções no transcurso das últimas quatro décadas. Os municípios que protagonizaram os mais expressivos crescimentos no período considerado formam os de médio porte, especialmente aqueles com população entre 100 mil e 200 mil habitantes, destacando-se os municípios cujas economias estão voltadas para o agronegócio, para as atividades petrolíferas e os que demandam mão de obra para a construção civil.

A região metropolitana (RM) de São Paulo continua sendo a mais populosa, com 19,8 milhões de habitantes, seguida da RM do Rio de Janeiro (11,7 milhões), da RM de Belo Horizonte (5,5 milhões), da RM de Porto Alegre (3,9 milhões) e da Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE) e entorno do Distrito Federal (3,8 milhões). Esta última, que em 2000 ocupava o 8º lugar em volume populacional entre as 15 RM mais populosas, passa, em 2011, para a 5ª posição. As 15 regiões metropolitanas mais populosas somam 71,7 milhões de habitantes em 2011 (37,25 % da população total).
Metodologia utilizada pelo IBGE

TAXA DE CRESCIMENTO POPULACIONAL EM 2011A população do Brasil foi estimada pelo método das Componentes Demográficas, a partir da população base por sexo e grupos de idade do Censo Demográfico de 2000, considerando as tábuas de mortalidade de 2000 e incorporando o padrão da fecundidade, oriundo dos resultados preliminares do Censo Demográfico 2010. Para as estimativas da população dos municípios, foi utilizado o Método da Tendência de Crescimento (aibi), tomando-se como base as populações municipais observadas em 2000 e 2010. Para as unidades da federação, as populações foram estimadas pela soma das populações de seus municípios componentes. A metodologia pode ser consultada em sua íntegra no link:
Informações: Comunicação Social do IBGE -  31 de agosto de 2011

Categorias: Dicas


Comente com sua conta do Facebook


5 comentários :

  1. Uma série de dados do IBGE obedece a critérios anacrônicos e mal definidos. Daí distorções como a presença de São Gonçalo ou Guarulhos entre os maiores "municípios" - um conceito que, para a maioria dos leitores, se confunde com o de cidade. É preciso, como em toda parte do mundo, lidar sobretudo com a ideia de "área metropolitana", aglomerado urbano. São Paulo, realisticamente, sobe para quase 20 milhões (o que não é nada de bom: aglomerados excessivos, hoje, são indicadores de Terceiro Mundo...), Rio de Janeiro para 12 e assim por diante. Assim computadas as coisas, Belo Horizonte continua a terceira cidade do Brasil em população e Porto Alegre não tem a aparente inexpressividade sugerida na lista acima: é a quarta ou quinta. O município é, pois, um limite artificial, que não existe na prática. Adotá-lo como medida só leva a noções demográficas equívocas e incompletas.

    ResponderExcluir
  2. o brasil vem crecendo, mas vai crecer mais ainda. com os eventos que estão vindo, como copa do mundo e olinpiada, o Brasil vai receber turistas e jornalistas do mundo inteiro

    ResponderExcluir
  3. A população deveria ser espalhada demograficamente e qualificada. A hora de o Governo agir neste sentido esta mais do que na hora, pelo exemplo que possuímos da população chinesa onde ha uma péssima qualidade de vida pelo fato do ser muito aglomerada de uma população despreparada. O governo brasileiro deve desde já atuar em políticas familiares, sociais e educacional, para não virarmos uma outra nação chinesa

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto
    muito bem explicado e organizado, gostei dos graficos

    ResponderExcluir
  5. quem fez esse mapa populacional?

    ResponderExcluir

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.