Apesar das manifestações, pedágio na BR 040 também gera benefícios á Cristalina


Cristalina recebe R$ 2 milhões do pedágio
Apesar de ter sido instalado em local inapropriado, próximo ao perímetro urbano de Cristalina, causando aumento de custos aos produtores rurais da região e transtorno aos trabalhadores que precisam trafegar diariamente pela BR 040, o posto de pedágio vem gerando um incremento importante na economia do município. 

Somente em 2016, Cristalina arrecadou mais de R$ 2 milhões oriundos do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) da BR-040 e da BR-050.

Quanto a essa nova fonte de renda do município, entrevistado pelo Jornal O Popular de Goiânia, o prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato, afirmou que o dinheiro proveniente de impostos gerados pelas atividades das concessionárias: Via 040 e MGO Rodovias (que administra a BR 050) será aplicado no custeio de 50% do transporte universitário, cerca de R$ 70 mil por mês. Além disso, serão ofertadas à população cristalinense 150 bolsas de estudos na educação superior em faculdades instaladas no município. O dinheiro também será aplicado na manutenção e conservação das estradas rurais.

Cristalina, pedágio da discórdia
Entende-se que o pedágio causa transtornos e reclamações, mas, é inegável que também traz benefícios à população. Portanto, lá em 2013, as autoridades locais, especialmente a prefeitura de Cristalina e a Câmara de Vereadores foram omissos quanto ao local escolhido pela Via 040 para instalação do posto de pedágio. 

Desde àquela época sabia-se que a praça de pedágio ficaria praticamente no perímetro urbano da cidade, estrategicamente localizada próxima à rodovia GO 436, que é a principal estrada utilizada pelos produtores da região no escoamento da produção agrícola.

Leita também:

Agora, o que resta aos produtores rurais e trabalhadores daquela região é tentar a isenção da taxa de pedágio, no entanto, isso não será uma tarefa das mais fáceis, pois, a Via 040 é uma empresa que visa obviamente o lucro e com certeza usará todo o seu aparato legal para tentar impedir qualquer tipo de isenção. Porém, não quer dizer que a isenção de algumas categorias não possa ocorrer, grandes empresários rurais e agora a classe política do município estão imbuídos na conquista dessa demanda, caso não consigam através de manifestações, protestos e reuniões com a concessionária, o caso deve chegar às vias judiciais. Vamos aguardar os próximos desdobramentos.

Comente com sua conta do Facebook

Comente com sua conta do Google

Nenhum comentário

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.