Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

terça-feira, 7 de junho de 2016

Lei do farol baixo durante o dia nas rodovias não considerou os carros com Luz de Circulação Diurna - DRL

|

Luz de circulação diurna - DRL é mais eficaz que faróis baixos
Luz de Circulação Diurna (DRL) x Faróis Baixos
Agora é lei, todos os veículos que circulam pelas estradas brasileiras deverão acender os faróis baixos mesmo durante o dia. A Lei 13.290/2016 foi sancionada pelo presidente interino Michel Temer no dia 23 de maio, ficando estabelecido que no período de 45 dias a partir da sanção presidencial os motoristas devem ser informados sobre a nova obrigatoriedade. Em julho, os órgãos de fiscalização de trânsito já poderão aplicar multas a quem não respeitar a nova lei. E não será uma multa barata, quem trafegar com os faróis apagados cometerá infração média, com multa de R$ 85,13 e mais quatro pontos na CNH.

A lei é muito bem-vinda e certamente aumentará a segurança nas rodovias, no entanto já chega obsoleta ao não considerar dispositivos mais modernos e mais eficientes de iluminação diurna, como os DRLs (Daytame Running Lamp/Light) ou farol/luz de circulação diurna, presente na maioria dos carros importados e em alguns nacionais. A lei traz o seguinte texto: “o condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias. ”, ou seja, despreza totalmente outras soluções já amplamente testadas em outros países, como o DRL que já é obrigatório, por exemplo, na Europa.

O DRL para quem ainda não conhece são lâmpadas halógenas ou de LED que se acendem sempre que é dada a partida no carro independentemente se o farol está ligado ou não. Vários modelos que circulam no Brasil já contam com esse sistema: Peugeot 208, Peugeot 308, Peugeot 408, Citroën C4 Lounge, Chevrolet Cruze (modelo mais novo), além de praticamente todos os veículos acima de 100 mil reais.

Muitos acham que o DRL tem uma função meramente estética, mas é justamente o contrário, o sistema visa especialmente a segurança, uma vez que melhora em muito a visibilidade dos carros, tanto para pedestres, como também para outros condutores.
Estudos europeus mostraram que após a obrigatoriedade dos carros novos virem de fábrica com o DRL observou-se uma redução entre 10% e 20% nos acidentes de trânsito, principalmente nas colisões frontais, que normalmente são as mais graves. Já nos Estados Unidos o DRL não é obrigatório, a NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), em seus estudos apontou para uma baixa redução nos acidentes. Mesmo assim, outras entidades americanas fizeram estudos que mostraram redução entre 5% e 15% nos números totais de acidentes nos veículos com DRL.

DRL x Farol Baixo
Muita gente questiona a eficácia da luz de circulação diurna (DRL), o fato é que esse sistema foi projetado principalmente para aumentar a visibilidade durante o dia, sendo mais eficiente na visualização por parte de outros condutores e pedestres em relação ao farol, já que este foi projetado para iluminar em condições de pouca ou nenhuma luz. Se observarem verão que os leds ou lâmpadas dos DRLs ficam direcionados para cima, justamente para serem vistos de longe, ao contrário dos faróis, que são projetados para facilitar a visão por parte do condutor do veículo.

Outro problema não considerado pelas nobres autoridades diz respeito às lanternas dos carros, ao ligar o farol baixo, as lanternas, geralmente de cor vermelha também se acendem, assim, a luz de freio, que também é vermelha, fica menos visível, podendo assim aumentar o número de colisões traseiras. Mas aí você pode estar pensando, a lei diz que o farol baixo deve ser aceso somente em rodovias e tuneis, nessas condições os carros não andam tão próximos... mais ou menos... aqui no Distrito Federal por exemplo, os trajetos são principalmente feitos por rodovias federais e distritais e, portanto, em horários de pico são formados grandes congestionamentos.
Além de melhorar drasticamente a visibilidade, o DRL é ativado mesmo com o farol desligado, assim, as lanternas traseiras ficam desligadas, diminuindo o risco do motorista que vem atrás não se atentar entre a diferença da luz da lanterna com a luz de freio.
Outro problema do uso diurno dos faróis é em relação ao consumo de combustíveis, mesmo que ínfimo, além do desgaste do sistema de iluminação do carro, que terá sua vida útil diminuída e o motorista terá que substituir as lâmpadas mais frequentemente.

Para finalizar, ressaltamos que a Lei 13.290/2016 deve ser revista, de modo a contemplar também os dispositivos de circulação diurna (DRL), já que esse sistema é comprovadamente muito mais eficaz para melhorar a visibilidade dos veículos durante o dia do que o farol baixo.

Afinal de contas, meu carro já vem com o DRL terei que ligar o farol baixo mesmo assim?
Bem, essa questão é polêmica, como a lei não diz nada a respeito de dispositivos auxiliares de iluminação diurna dos carros, levando ao pé da letra, mesmo seu carro tendo aquelas luzes de Led (DRL) será preciso ligar os faróis baixos, caso contrário poderá ser multado pela autoridade de trânsito. Esperamos que até julho o governo revise a lei para que o DRL se enquadre à nova legislação e que os carros que já vem com esse sistema não precisem também ligar os faróis durante o dia.



Categorias: Atualidades, Destaque


Comente com sua conta do Facebook


Postar um comentário

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.