Deficientes poderão se aposentar mais cedo segundo projeto (PLC nº 40, de 2010) aprovado em comissão do Senado


Pessoas com deficiência poderão se aposentar mais cedo
A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (20/03) projeto que beneficiará as pessoas portadoras de necessidades especiais - PNE que trabalham com carteira assinada e contribuem para o Regime Geral de Previdência Social. O projeto de lei irá permitir que os PNE se aposentem com um tempo menor de contribuição à previdência.

O PLC nº 40, de 2010, pretende disciplinar a aposentadoria especial das pessoas com deficiência, instituída com a Emenda Constitucional (EC) nº 47, de 5 de julho de 2005, mediante modificação do § 1º do art. 201 da Constituição Federal, que permitiu a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria especial aos segurados com deficiência.

Tempo de contribuição para aposentadoria de Pessoa com deficiência
Entre os requisitos estabelecidos no projeto, está a exigência de tempo de contribuição diferenciado, conforme se trate de deficiência leve (trinta anos, se homem; e vinte e cinco, se mulher), deficiência moderada (vinte e sete anos, se homem; e vinte e dois, se mulher) e deficiência grave (vinte e cinco anos, se homem; e vinte, se mulher).

Se a opção for pela aposentadoria por idade, as pessoas com deficiência poderão requerê-la com sessenta (60) anos de idade, se homem, e cinquenta e cinco (55) anos, se mulher, desde que comprovada a contribuição mínima de quinze (15) anos e igual período de existência de deficiência.

A proposta atribui ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a competência para atestar o grau de deficiência e realizar perícia quinquenal, para reavaliação. O texto do projeto de lei também foi elaborado de modo a definir o valor dos benefícios, a estabelecer a aplicação do fator previdenciário, a contagem recíproca do tempo de contribuição e a aplicabilidade das normas do Regime Geral da Previdência Social.

O relator, senador Lindbergh Farias (PT-RJ), disse esperar que a matéria seja votada logo no plenário da Casa. “O que eu quero é velocidade. Conseguimos um acordo bom para as pessoas que possuem deficiência e temos que colocar rapidamente no plenário do Senado e no plenário da Câmara.”

A CAE também aprovou pedido de urgência para a matéria, o que permite que ela seja votada rapidamente no plenário. Depois de aprovada no Senado, a proposta ainda volta à Câmara dos Deputados porque houve mudanças no projeto original. Clique aqui e veja o projeto na íntegra, bem como sua tramitação no Senado.

Comente com sua conta do Facebook

Comente com sua conta do Google

Um comentário

  1. como porttador de necessidade especial acho meio dificil um de nós PNE. Conseguirmos permanecer em uma empresa por 15 anos.
    Ja que nosso risco de assidentes de trabalho e etc é maior.

    ResponderExcluir

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.