Rádio Jovem Pan, Globo e CBN de São Paulo voltam a transmitir o programa A Voz do Brasil

A Rádio Jovem Pan AM e FM de São Paulo estão obrigadas a transmitirem o programa A Voz do Brasil, que vai ao ar de 19h às 20h. Após uma liminar, as duas emissoras vinham transmitindo no horário o jornal Hora da Verdade, que levava prestação de serviços e informações aos paulistanos.

Com a obrigação da justiça, o programa foi excluído da programação  para dar lugar ao programa A Voz do Brasil, criado em 1935 durante a Ditadura do governo Getúlio Vargas. Além da Jovem Pan AM e FM, a Rádio Globo e a CBN AM FM, também deverão transmitir o programa A Voz do Brasil no horário das 19 horas. 

A Jovem Pan divulgou uma nota de repúdio à obrigatoriedade de transmissão do programa estatal (Ouça o áudio divulgado pela emissora) e questiona as razões pelas quais somente a três emissoras (Jovem Pan, Globo e CBN) foram obrigadas a voltarem a transmitir a Voz do Brasil, ao passo que, as rádios Bandeirantes AM e FM, Estadão ESPN AM e FM, Rádio Tupi FM, Rádio Record, Nativa FM, BandNews FM, Rádio Capital, Gazeta FM, 105 FM, Transamerica FM, Antena 1, Metropolitana FM e Mix FM continuam a veicular programação alternativa entre 19h e 20 horas.

Veja abaixo alguns trechos da nota divulgada pela rádio Jovem Pan AM de São Paulo:

“Que interesses estão por trás dessa decisão absolutamente arbitrária? Que interesses políticos ou econômicos impedem a Jovem Pan de informar e prestar serviço das 19h às 20h? Essa medida que atinge apenas a Jovem Pan, CBN e Rádio Globo provoca um grave desequilíbrio na competição entre as emissoras - com uma indiscutível perda para os ouvintes e para as próprias rádios que sofrem prejuízos comerciais.

A decisão de obrigar a Jovem Pan, a CBN e a Rádio Globo a transmitir a Voz do Brasil nesse horário caracteriza uma ação premeditada de tentar excluir essas emissoras do processo de informação e prestação de serviço para a população de São Paulo.

A Jovem Pan não vai se calar.
Uma cidade como São Paulo não pode prescindir da prestação de serviço, que leva tranquilidade à população no horário crítico do trânsito. A obrigatoriedade da transmissão da Voz do Brasil sempre foi uma decisão política e dos políticos, que contraria a realidade e os interesses das grandes cidades brasileiras. O ano é de eleição e de mudanças. A cidadania é a prática dos legítimos direitos de todos nós.”

E você, é contra ou a favor a obrigatoriedade de transmissão pelas emissoras brasileiras da Voz do Brasil? Deixe seu comentário.



Comente com sua conta do Facebook