TJDFT suspende a disponibilização do jogo Bolsomito 2K18 por incitar a violência e o preconceito


Capa do jogo Bolsomito 2K18. Divulgação
Capa do jogo Capa do jogo Bolsomito 2K18. Divulgação
Na última quinta-feira (19/12), o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) emitiu decisão que suspende a comercialização do jogo "Bolsomito 2K18". 
De acordo com o desembargador Álvaro Ciarlini, que assinou a decisão de suspender o game, o enredo do jogo ajuda a "promove desvalores como a discriminação racial, o preconceito e a violência". "Esses desvalores convergem para a afirmação da desigualdade política e jurídica", diz a decisão.

A suspensão da venda foi motivada por uma ação ajuizada pelo Ministério Público do Distrito Federal, inicialmente, em primeira instância o pedido foi negado. Mas agora, o TJDF acatou o recurso de 2º instância que obriga a plataforma online Valve Corporation a suspender a comercialização e disponibilização do polêmico jogo. A partir de sua notificação a empresa terá cinco dias úteis para cumprir a decisão, caso contrário receberá multa diária de R$ 100 mil.

Mas por que esse jogo é tão polêmico?
Desde que o jogo passou a ser comercializado em outubro de 2018, o Ministério Público tentou administrativamente, porém sem sucesso impedir a continuidade de sua de comercialização por entender que o produto promove a violência e acirra ainda mais o preconceito contra determinas ideologias e classes.

A principal motivação para impedir a disponibilização do jogo “Bolsomito 2K18” tem muito a ver com seu enredo um tanto controverso, onde o jogador tem a sua disposição um arsenal de armas de fogo, deve controlar o personagem do presidente Jair Bolsonaro e matar um exército de monstros vermelhos, mulheres, negros, homossexuais, militantes esquerdistas, além de outros personagens.

Enfim, independente da ideologia política, o jogo não traz uma mensagem legal, pelo contrário, promove um culto desnecessário à violência e a segregação das minorias.




Comente com sua conta do Facebook