Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Conglomerado de estrelas com gases brilhantes a 160 mil anos-luz da Terra

|

Superbolha de gases brilhantes a 160 mil anos-luz da Terra
Conglomerado de estrelas NGC 1929 com gases brilhantes. Imagem: Ray: NASA/CXC/U.Mich./S.Oey, IR: NASA/JPL, Optical: ESO/WFI/2.2-m
Esta imagem da Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã vizinha à Via Láctea, mostra uma superbolha de gases brilhantes no aglomerado de estrelas NGC 1929, que se encontra na Nebulosa N44, localizada a 160 mil anos-luz da Terra. Muitas destas estrelas, apesar de jovens, são extremamente massivas e por possuírem grande massa, acabam explodindo em supernovas (estágio em que a estrela chega ao fim da vida e explode de forma violenta para “renascer” como uma supernova). Essas explosões geram uma intensa radiação e as ondas de choque expulsam a matéria a sua volta em alta velocidade, aquecendo o gás circundante fazendo-o brilhar e gerando grandes cavidades no gás chamados de superbubbles (ou super bolhas em português).

A imagem acima é um mosaico de fotos produzidas por três capturas diferentes, onde cada uma captou aspectos distintos do aglomerado e desta forma, a imagem é formada por três cores distintas que representam estágios do gás: azul, vermelho e amarelo. O telescópio orbital de Raios-X Chandra, da NASA, mostra em azul as regiões quentes criadas pelos ventos e ondas de choques causados pelas explosões de supernovas. Já o telescópio espacial Spitzer, também da NASA, mostra no esboço os dados infravermelhos (obviamente em vermelho), onde a poeira e os gases se encontram  em processo de resfriamento.

Os dados em amarelo foram obtidos através de observações feitos pelo telescópio Max-Planck (Observatório Europeu do Sul), localizado no Chile e mostra onde a forte radiação ultravioleta faz o gás do conglomerado NGC 1929 brilhar. As observações pela primeira vez foram suficientes para mostrar as diferentes origens das emissões de Raios-X nas superbolhas, que são locais extremamente violentos e de grande atividade, onde um sem número de estrelas estão surgindo e morrendo em espetaculares explosões.

Categorias: Tecnologia


Comente com sua conta do Facebook


Postar um comentário

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.