Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Astrônomos detectam água envolvendo um disco de poeira ao redor de uma estrela em nascimento

|

Usando dados do Observatório Espacial Herschel, os astrônomos detectaram pela primeira vez vapor de água fria envolvendo um disco de poeira ao redor de uma estrela jovem. As descobertas sugerem que este disco, que está prestes a se transformar em um sistema solar, contém grandes quantidades de água, sugerindo que planetas cobertos de água como a Terra podem ser comuns no universo. Herschel é uma missão da Agência Espacial Européia, com importantes contribuições da NASA – Agência Espacial Americana.

Os cientistas já encontraram vapor de água quente em planetas em formação, originando discos perto de uma estrela central. Evidência para grandes quantidades de água que se estende para o centro da espiral, até então, esse local, que é onde os cometas se formam nestes discos, não tinha sido visto. Quanto mais água disponível em discos para formação de cometas de gelo, maior as chances de que grandes quantidades de água eventualmente atingirão novos planetas através de impactos.

"Nossas observações deste vapor frio indicam que existe água suficiente no disco para preencher milhares de oceanos semelhantes aos da Terra", disse o astrônomo Michiel Hogerheijde, do Observatório de Leiden na Holanda. Hogerheijde é o principal autor de um artigo descrevendo os resultados na edição 21 de outubro da revista Science.
Água no espaço em disco de estrela
Vapor de água fria envolvendo um disco de poeira ao redor de uma estrela jovem.(NASA/Divulgação).

A estrela com estes discos alagados, chamados TW Hydrae, tem 10 milhões de anos e se localiza a cerca de 175 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Hidra. A neblina, frígida aquosa detectada pelo Hogerheijde e sua equipe, é formada por gelo revestido de grãos de poeira perto da superfície do disco. A luz ultravioleta da estrela faz com que algumas moléculas de água possam se livrar deste gelo, criando uma fina camada de gás com uma assinatura de luz detectada pelos instrumentos de detecção de sinais infravermelho, ou em inglês HIFI - Instrument for the Far-Infrared.

"Essas são as observações mais sensíveis feitas pelo HIFI até à agora", disse Paul Goldsmith, o cientista da NASA para o projeto Observatório Espacial Herschel na agência do Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, Califórnia "É um testamento para os construtores de instrumentos que tais sinais fracos podem ser detectado. "

TW Hydrae é uma estrela anã laranja, um pouco menor e mais fria do que o nosso sol. O disco gigante de material que circunda a estrela tem um tamanho de cerca de 200 vezes a distância entre a Terra e o sol. Ao longo dos próximos milhões de anos, os astrônomos acreditam que a matéria dentro do disco irá se colidir e formar planetas, asteroides e outros corpos cósmicos. Partículas de poeira e gelo vão formar cometas.

Quando o novo sistema solar evoluir, os cometas de gelo que carregam grande quantidade de água, provavelmente por meio de impactos nos planetas em formação serão responsáveis pela formação de oceanos. Os astrónomos acreditam TW Hydrae e seu disco de gelo pode ser representativo de muitos outros sistemas estelares jovens, oferecendo novos insights sobre como os planetas com água em abundância poderia formar todo o universo.
Leia mais a respeito na página da NASA.

Categorias: Tecnologia


Comente com sua conta do Facebook


Postar um comentário

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.