Últimas Notícias

Notícias do Rádio

Telefonia

Nº de visualização do site

Pessoas Online

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Carnaval parte 2

|


Nesta segunda postagem da série Carnaval, falaremos sobre o Vírus da Imunodeficiência Humana - HIV e também da Aids - Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, vamos mostrar como o vírus infecta o ser humano, seus sintomas, formas de prevenção, Ciclos do HIV e AIDS e tipo de tratamento. Uma das formas de evitar o cantágio do Vírus é através do uso da camisinha durante as relações sexuais.

O HIV
O conhecido HIV, Vírus da Imunodeficiência Humana, é um vírus pertencente à classe dos retrovírus, e causador da AIDS.
Ao entrar no organismo humano, o HIV age no interior das células do sistema imunológico, responsável pela defesa do corpo. As células de defesa mais atingidas pelo vírus são os linfócitos CD4+, justamente aquelas que comandam o sistema de defesa do corpo diante de agentes como vírus e bactérias.
O HIV tem a capacidade de se ligar a um componente da membrana dos linfócitos, o CD4, e penetrar nessas células, para poder se multiplicar. O HIV vai usar o DNA da célula para fazer cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe a célula e os novos vírus caem na corrente sanguínea, indo buscar outras células para continuar sua multiplicação.
As células do sistema imunológico de uma pessoa infectada pelo vírus começam então a funcionar com menos eficiência e, com o tempo, a capacidade do organismo em combater doenças comuns diminui, deixando a pessoa sujeita ao aparecimento de vários tipos de doenças e infecções.


Tempo de Incubação do Vírus HIV
O HIV pode levar vários anos, entre o momento da infecção até o surgimento dos primeiros sintomas. Esta fase se denomina de assintomática, pois a pessoa não apresenta nenhum sintoma ou sinal da doença. Este período entre a infecção pelo HIV e a manifestação dos primeiros sintomas da AIDS irá depender, principalmente, do estado de saúde da pessoa.
Quando se diz que uma pessoa tem HIV, está fazendo referência a essa fase assintomática da doença. Quando se fala em pessoa com AIDS, significa dizer que ela já apresenta sintomas que caracterizam a doença, o que geralmente marca o início do tratamento com os medicamentos antirretrovirais, que combatem a reprodução do vírus HIV.
Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. Há muitas pessoas soropositivas que vivem durante anos sem desenvolver a doença. No entanto, podem transmitir o HIV aos outros pelas relações sexuais desprotegidas, por compartilhar seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez, por isso a atenção deve ser dobrada.


Aids
A aids é a sigla em inglês da síndrome da imunodeficiência adquirida. É causada pelo HIV, vírus que ataca as células de defesa do nosso corpo. Com o sistema imunológico comprometido, o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves como tuberculose ou câncer. O próprio tratamento dessas doenças, chamadas oportunistas, fica prejudicado.


Formas de Contágio
Uma pessoa pode contrair a aids ou outra doença sexualmente transmissível ao manter relações sexuais com uma pessoa infectada. Por isso, use a camisinha sempre! Se liga! Outra forma de contágio ocorre pelo contato direto com sangue contaminado, que pode ocorrer com o compartilhamento de agulhas para injeção de drogas, transfusões de sangue. Preste atenção e nunca compartilhe esses materiais com outras pessoas, que podem estar infectadas e não sabem. Além disso, uma mãe portadora do HIV pode passar para o filho durante a gestação, parto ou amamentação. Mas, atualmente, as chances de transmissão podem ser reduzidas a um 1%. Para isso, a grávida precisa fazer o exame de aids e sífilis o quanto antes. E, em caso positivo, é fundamental seguir o tratamento e as orientações médicas corretamente e não amamentar o bebê.

Prevenção
Como o HIV está presente no sangue, sêmen e secreção vaginal, a transmissão sexual da aids é a mais comum. Portanto, nunca deixe de usar a camisinha, e colocá-la da forma correta. Praticar o sexo seguro, mantém você longe da aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis e a gonorréia, por exemplo. Se você é soropositivo, não pense que está dispensado de usar o preservativo para se cuidar, mesmo que o seu parceiro seja soropositivo também. Ele evita a reinfecção por outros tipos de HIV, além de proteger contra outras DST. A camisinha está disponível em toda rede pública de saúde. Caso não saiba onde retirar a camisinha, ligue para o Disque Saúde (0800 61 1997).
Profissionais de saúde recomendam, ainda, não compartilhar seringas ou agulhas com outras pessoas. As grávidas devem ter atenção redobrada durante a gestação e o parto. E como o HIV também está presente no leite materno, não podem amamentar seus filhos.  Prevenir-se contra as DST, especialmente a aids, é simples e fácil. Fique ligado e use camisinha sempre!

Sintomas?
A aids não se manifesta da mesma forma em todas as pessoas. Mas os sintomas iniciais geralmente são semelhantes e comuns a outras doenças. Os mais frequentes são gripe persistente, perda de peso, diminuição da força física, febre intermitente (a pessoa fica febril e melhora, e febril novamente com muita freqüência), dores musculares, suores noturnos, diarréia.
Como muitas pessoas passam anos sem apresentar sintoma algum, faça o teste sempre que passar por uma situação de risco. O indicado é esperar, pelo menos, um mês após essa possível exposição ao vírus. Esse é o tempo que o organismo leva para produzir anticorpos suficientes que possam ser detectados nos testes de laboratório.  Quanto antes você descobrir, melhor para a sua saúde.

Tratamento
A aids ainda não tem cura, mas o soropositivo pode viver como uma pessoa saudável se seguir o tratamento médico corretamente. Atualmente, existem remédios antirretrovirais, que inibem a reprodução do HIV no sangue, mais conhecidos como coquetel. O controle do avanço da doença também faz parte do tratamento, e é feito por meio dos testes realizados regularmente. O paciente também deve ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos com freqüência.
Fonte: Ministério da Saúde

Ciclo do HIV e AIDS
O HIV ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a contaminação. Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas. Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, por compartilhar seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e proteger-se em todas as situações. Na fase onde aparecem os sintomas, o infectado sente dores de cabeça, contrações abdominais, febre, falta de coordenação, náuseas, vômitos, fadiga extrema, perda de peso e diarréias persistentes. Mas quando esses sinais surgem, a infecção pelo HIV já está em fase avançada.
Fonte: Ministério da Saúde


Categorias: Dicas, Utilidade


Comente com sua conta do Facebook


Postar um comentário

Antes de comentar leia nossa Política de Comentários

Atenção: Os comentários não refletem as opiniões do editor e nem do Site.